Diálise

Diálise
A Hemodiálise - sala de hemodiálise com seus respectivos aparelhos

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Oxidos


A Definição Para os Óxidos


Óxido são substâncias formadas pelo elemento químico oxigênio que é o mais eletronegativo presente em sua estrutura molecular e qualquer outro elemento químico que seja diferente do flúor, pois o flúor possui a sua eletronegatividade maior que a do oxigênio. Os óxidos podem ser caracterizados como as ferrugens.
 
Os Exemplos de Alguns Dos Óxidos Mais Comuns
 
CO                                   - monóxido de carbono
CO2                                  - dióxido de carbono – gás carbônico
NO2                                  - dióxido de mononitrogênio
N2O                                  - monóxido de dinitrogênio
N2O5                                 - pentóxido de dinitrogênio
CaO                                 - óxido de cálcio
Li2                                - óxido de lítio
Pb3O4                               - tetróxido de trichumbo - zarcão
CaCO3                              - carbonato de cálcio
Al2O3                               - óxido de alumínio - bauxita
MnO3                               - trióxido de manganês 
Fe3O4                               - tretóxido de triferro - magnetita
Fe2O3                               - óxido férrico - hematita
CuO                                  - óxido cúprico - óxido de cobre II
Cu2O                                - óxido cuproso – óxido de cobre I
SO2                                  - dióxido de enxofre
SO3                                  - trióxido de enxofre
ZnO                                  - óxido de zinco
MgO                                 - óxido de magnésio
CaO                                 - óxido de cálcio
Na2O                               - óxido de sódio
K2O                                 - óxido de potássio
Cr2O3                              - óxido de cromo III
Mn2O7                             - heptóxido de dimanganês
                                         ou óxido de manganês VII
SrO                                  - óxido de estrôncio
SnO                                  - óxido de estanho
P2O5                                - pentóxido de difosforo
N2O3                               - trióxido de dinitrogênio
Cl2O                                - óxido de dicloro
HgO                                 - óxido de mercúrio

A Ocorrência Dos Óxidos na Natureza


Os óxidos aparecem abundantemente na natureza na forma de água (a água é um óxido), de ferrugens, de minerais como o quartzo, a hematita, a pirosulita, cassiterita, bauxita, magnetita entre outros e na forma de gases lançados na atmosfera.
A poluição por determinados tipos de óxidos gasosos pode advir de indústrias e veículos automotores que utilizam combustíveis fósseis para a geração de energia, especialmente quando se usa combustíveis de baixa qualidade como a gasolina ruim que interfere no rendimento dos motores, provém de queimadas de florestas, campos, pastagens, da queima da cana-de-açúcar na hora de ser colhida.  
A poluição por veículos automotores e pelas indústrias pode ser controlada pelo uso de combustíveis de boa qualidade, por filtros e catalisadores que reduzem a quantidade de determinados gases nocivos lançados na atmosfera e consequentemente no meio ambiente de um modo geral.
 
Os Óxidos e a Poluição Pelo Ser Humano


Monóxido de Carbono (CO)
Provem da queima incompleta de combustíveis, é um gás extremamente tóxico, poluente atmosférico, pode ter origem dos escapamentos dos veículos automotores sem catalisadores de onde é liberado para a atmosfera. No corpo humano esse gás tem 250 vezes mais afinidade pela hemoglobina que o oxigênio

O Monóxido de Carbono no Corpo Humano 


O monóxido de carbono não tem cheiro, cor, sabor, e é altamente tóxico e letal. 
O organismo humano também produz o monóxido de carbono naturalmente em quantidades pequeníssimas. Nessas ínfimas proporções, ele desempenha um papel como sinalizador fisiológico para o corpo como neurotransmissor ou como um relaxante dos vasos sanguíneos.


No entanto, como o monóxido de carbono atua no nosso organismo, algumas vezes beneficiando, outras vezes; a apresentação de anormalidades metabólicas tem sido consideradas ligadas à sua presença. Há uma variedade de doenças que podem ser consideradas como causadas pelo monóxido de carbono, as quais são: neuro-degenerações, hipertensão, falência cardíaca e inflamações.
Também é de pleno conhecimento, que no sistema sanguíneo humano, nos eritrócitos, combina-se irreversivelmente com a hemoglobina produzindo a carboxihemoglobina e a faz perder a capacidade de levar oxigênio para os tecidos do nosso corpo. Admite-se que concentrações de 667 ppm (seiscentas e sessenta e sete partículas para cada  milhão) pode causar a conversão de 50% da hemoglobina do sangue em carboxihemoglobina e causar falência desse sistema, coma e morte. 


Dióxido de carbono (CO2)


É produzido em grandes quantidades na época das queimadas da cana-de-açúcar, atualmente as queimadas da cana de açúcar vem aos poucos sendo abandonadas pelo uso de maquinarias de colheita de alta tecnologia. Esse gás também é produzido nos incêndios florestais, na queima de combustíveis pelos veículos automotores, pode originar das fuligens de chaminés. Uma das consequências do aumento do CO2 atmosférico é a formação da chuva ácida.

O Monóxido de Mononitrogênio (NO)


O monóxido de nitrogênio (NO) é formado nas "descargas" de relâmpagos ou raios, as moléculas do gás oxigênio e nitrogênio são cindidas ao meio, cada átomo; de oxigênio e nitrogênio atômico se une individualmente formando o gás NO.  O monóxido de nitrogênio formado em contato com o oxigênio do ar reage imediatamente com o oxigênio (O2) e forma o NO2 e o ozônio (O3). O NO, também é formado nas erupções vulcânicas, é um dos responsáveis pela destruição da camada de ozônio da atmosfera.

A reação de formação do NO pode ser representada:

N2       +        O2     --------       2 NO

O Monóxido de Dinitrogênio (N2O) - Gás Hilariante  

Esse gás é obtido a partir do nitrato de amônia por aquecimento, gerando  o óxido de dinitrogênio, não é toxico, no ser humano produz excitação histérica, como vontades de cantar, rir brigar, o uso prolongado leva a inconsciência, entretanto em medicina pode ser usado como anestésico.
Dióxido de Enxofre (SO2)
orígem vulcões ativos, relâmpagos, indústrias que queimam combustíveis fósseis, é prejudicial à saúde humana cardio respiratório irritante para as mucosas, é anti-séptico,  livre na atmosfera forma o gás trióxido de enxofre, é prejudicial para as plantas com relação a fotossíntese, necrose e sensibilidade aos parasitas.
trióxido de Enxofre (SO3
é formado a partir do dióxido de enxofre, vulcões ativos, forma chuva ácida, incorporado ao solo forma SO4 pelas sulfobactérias.


                                A Classificação Dos Óxidos


Óxidos Neutros ou Moleculares

A característica própria dos ácidos neutros é que, quando em contato com água, ácidos ou bases, eles não reagem. O seu comportamento é assim devido ao fato de sua estrutura molecular ser constituída por ligações do tipo covalente molecular simples e dativa. 

Observe as estruturas desses óxidos.

CO (monóxido de carbono)
 
Na ligações covalentes do monóxido de carbono há duas ligações covalentes molecular simples (dois traços) e uma ligação covalente dativa (flecha).

NO (monóxido de nitrogênio ou óxido nítrico)

Na ligação do monóxido de nitrogênio há duas ligações covalentes molecular simples (dois traços).
Óxido nitroso ou gás hilariante (gás do riso) e anestésico.
                                       
De acordo com a regra do octeto, o óxido nitroso forma uma ligação covalente simples e uma ligação covalente dativa nos dois nitrogênios e duas ligações covalentes moleculares simples no nitrogênio com oxigênio.                                       

Óxidos Ácidos                                       

Os óxidos ácidos são formados a partir da desidratação de um ácido, portanto são anidridos. Possuem por característica própria, a estruturação molecular formada por ligações covalentes entre o oxigênio participante e outro elemento químico ametal de alta eletronegatividade. Ao reagirem com água formam ácido e ao reagirem com uma base formam sais e água. São essas propriedades que lhes possibilitam o atributo de serem óxidos ácidos.

Alguns exemplos de óxidos ácidos

Pentóxido de dinitrogênio 
                                      
O pentóxido de dinitrogênio é um oxidante instável, ao misturar com componentes orgânicos e sais de amônia, forma composto fortemente explosivo. Ao se decompor forma o gás dióxido de nitrogênio altamente tóxico.                                       


Os Peróxidos
 
Os Superóxidos
 
A Nomenclatura Dos Óxidos

                                                               Bibliografia

Geraldo Camargo de Carvalho - Química Moderna. Volume 1. Ed. Scipione, 3ª edição. P. 229 a 256.
 
Tito e Canto - Química na Abordagem do Cotidiano. Volume 1. Ed. Moderna, 2ª edição. P. 270 a 302.                                        
         
Ricardo Feltre - Química Geral. Volume 1. Ed. Moderna, 6ª edição. P. 218 a 236.

Dinitrogen pentoxide - Wikipedia, the free encyclopedia
en.wikipedia.org/wiki/Dinitrogen_pentoxideEm cache - Similares                              

Sais

                                            Sais

A Definição Para os Sais


Os sais são amplamente distribuidos na natureza e podem ser obtidos sinteticamente para o aproveitamento humano.São compostos iônicos, por esse motivo são bons condutores de corrente elétrica, a sua formação se dá a partir da reação de um ácido com uma base de Arrhenius. Quando em contado com sensores do nosso paladar apresentam o sabor salgado.
 
Exemplos de Alguns Sais Mais Comuns


Exemplificar numericamente os sais é bem complicado porque é grande o número das substâncias pertencentes a esse  grupo. Aqui é descrito apenas uma limitada parte dos sais mais comuns, com os quais se pode contactar frequentemente.

NaCl               -  cloreto de sódio – sal de cozinha     
KCl                 -  cloreto de potássio
NaCO3            -  carbonato de sódio
NaHCO3         -  carbonato ácido de sódio
FeSO4             -  sulfato de ferro II
CaO                - óxido de cálcio
CaSO4             - sulfato de cálcio
BaSO4             - sulfato de bário
MgSO4            - sulfato de magnésio
CaCl2              - cloreto de cálcio
CaCO3            - carbonato de cálcio
Al2(SO4)3         - sulfato de alumínio
Ca3(PO4)2        - difosfato de tricálcio
CaHPO4          - fosfato ácido de cálcio
CaHCO3          - carbonato ácido de cálcio
KNO3              - nitrato de potássio
NaNO3            - nitrato de sódio  
NaNO2             - nitrito de sódio
CaOHCl          - cloreto monobásico de cálcio
                         ou monohidroxicloreto de cálcio
K2S                 - sulfeto de potássio
NaClO4            - perclorato de sódio
KClO3             - clorato de potássio
KClO 4            - perclorato de potássio
AgNO3            - nitrato de prata
Na2SO4           - sulfato dissódico
NH4NO3          - nitrato de amônia
CuSO4             - Sulfato de cobre
CuSO3            - sulfito de cobre II ou sulfito cúprico
K2HPO4           - hidrogenofosfato de potássio ou fosfato ácido de potássio
KH2PO4          - hidrogenofosfato de potássio ou fosfato diácido de potássio
MgO               - óxido de magnésio
KI                   - iodeto de potássio
FeCO3            - carbonato ferroso

 Os Sais e a Condução de Corrente Elétrica

Os sais quando anidro ou na forma de cristais, não conduzem eletricidade. No entanto em solução aquosa dissociados em ânions e cátions, os sais são capazes de conduzir eletricidade (esquema acima).

Onde São Encontrados os Sais Mais Comuns



NaNO3 - Nitrato de sódio - salitre 

O nitrato de sódio é encontrado no Chile em jazidas extensas , também no Egito e nos E.U.A., Argentina, Peru.

O NaNO3 é usado na produção de outro sal o nitrato de potássio que tem aplicações mais ou menos parecidas, é empregado na produção de explosivos e TNT, na medicina tem seu uso como regulador da pressão osmótica, na indústria química, na produção de vidro, na indústria metalúrgica, tem o seu emprego na fabricação de corantes, na preservação das carnes enlatadas para preservar a cor, pode ser usado na preparação de propelente sólido de foguetes, ao ser combinado com hidróxido de ferro produz resina. 
O nitrato de sódio pode ser transformado por ação bacteriana a nitritos e perder a sua eficácia como conservante, principalmente da cor das carnes.

O carbonato de cálcio (CaCO3) é encontrado na casca dos
ovos
A Utilização Dos Sais Pelo Ser Humano

O hipoclorito de sódio (NaClO) é um dos compostos
iônicos amplamente utilizado na limpeza doméstica
A Utilização do Cloreto de Sódio (NaCl)

O cloreto de sódio está presenta na preparação da nossa alimentação diária, na conservação de carenes secas, no soro fisiológico hospitalar a 0,9%. Utiliza-se o cloreto de sódio na eletrólise ígnea para se obter o metal sódio puro que é aplicado na produção da liga sódio/chumbo e para a fabricação de projéteis (balas), esse metal é muito importante na preparação da base hidróxido de sódio (NaOH), na purificação de metais fundidos, tem emprego na fabricação de células fotoelétricas, na fabricação de lâmpadas a vapor de sódio. Outro uso do cloreto de sódio é na obtenção do gás hidrogênio (H2) e gás cloro (Cl2) através da dissociação eletrolítica em água.

Bicarbonato de sódio (NaHCO3) usado em extintor de
incendio
















O Uso do Bicarbonato de Sódio (NaHCO3)

O carbonato ácido de sódio ou bicarbonato de sódio, é utilizado na preparação de bolos biscoitos, na medicina como anti ácido estomacal contras azias.

O Uso do Carbonato de Amônio (NH4)2CO3 

Esse sal é utilizado como expectorante, em tingimento de tecidos, na produção de fermentos e nas fórmulas especiais de reveladores em tons quentes fotográficos, como ingrediente para shampoos, como agente de formação de espuma em material expandido (tipo isopor).

O Uso do Carbonato de Lítio Li2CO

O carbonato de lítio pode se  apresentar na forma de pó branco levemente alcalino e inodoro, é utilizado como medicamento antidepressivo, nos transtornos bipolares, mania recorrente e hiperatividade psicomotora. No entanto é muito tóxico, pessoas com problemas renais devem evitar esse medicamento a base de lítio, que pode também atingir a tireoide e causar hipotiroidismo. Além dessa aplicação o carbonato de lítio é utilizado como aditivo na produção do alumínio, na obtenção de hidróxido de lítio, na fabricação de vidro com alto teor de lítio que geralmente é a prova de fogo.

O Uso do Nitrato de Potássio (KNO3)

O nitrato de potássio pode ser utilizado como medicamento diurético, tem seu emprego como conservante de embutidos mortadela salame. O nitrato de potássio com açúcar comum pode ser um excelente combustível propelente de foguetes. 

O Uso do Sulfato de ferro (II) (FeSO4)

O sulfato de ferro II é utilizado como medicamento antianêmico para as pessoas com anemia. 

A Solubilidade Dos Sais

A Dissociação de Sais e a Geração De Ânions e Cátions
 
Um sal solúvel em água se dissocia liberando ânions e cátions.
A dissociação do cloreto de sódio em água.
O cloreto de sódio solúvel em água dissocia-se gerando o cátion sódio e
o ânion cloro que ficam livres na solução aquosa.
O sulfato de alumínio é um dos sais que se dissolvem em água. A dissociação do sulfato de alumínio em água. 
pode ser expressa pela equação.
O sulfato de alumínio dissocia-se formando cátions alumínio e
ânions sulfato que ficam livres na solução aquosa.

A representação da mesma dissociação do sulfato de alumínio em água fica: 

Solubilidade do Carbonato de Amônia  (NH4)2CO3 

O carbonato de amônio é muito solúvel solúvel em água fria.

Solubilidade do Nitrato de Potássio

O nitrato de potássio é muito solúvel em água.
A Formação de um Sal

A formação do sal cloreto de sódio (NaCl) envolvendo a base hidróxido de sódio e ácido clorídrico.
Na reação o radical hidroxila da base e o radical hidrogênio do ácido formam
a água e o cátion da base e o ânion do ácido formam o sal. 


A Formação de um Sal Normal ou Neutro


Para reagir com uma molécula de um triácido é necessário três moléculas da base hidróxido de sódio. 


   Hidróxido de sódio      ácido fosfórico                             fosfato de sódio                            água


A Formação de um Sal Ácido


O sal ácido possui hidrogênio na sua fórmula. No sal ácido nem todos os hidrogênios são ionizados, é o que pode ser chamado de neutralização parcial do sal. Por exemplo: ao prepararmos uma solução de ácido sulfúrico com hidróxido de sódio de proporção 1 mol: 1 mol, podemos obter um sal ácido.
A mesma reação pode ser representada:
      Hidróxido de sódio        ácido sulfúrico                                sulfato ácido de sódio             água

A Formação de um Sal Básico

Sais básicos são formados a partir da reação parcial de uma base que possui  mais de uma hidroxila na sua estrutura molecular, com um ácido de hidrogênio (s) ionizavel (is) a menos. Vejamos exemplo.

A formação do bicloreto monobásico de alumínio

    Hidróxido de alumínio           ácido clorídrico                   bicloreto monobásico de alumínio        água


A formação do cloreto monobásico de cálcio.
    hidróxido de cálcio                 ácido clorídrico                   cloreto monobásico de cálcio               água

Sais Mistos


Os sais mistos podem ser formados por uma base e por dois ou mais ácidos diferentes. Por exemplo.
A formação do sal cloreto-brometo de cálcio.
    hidróxido de cálcio    ácido clorídrico     ácido bromídrico        cloreto-brometo de cálcio             água

A formação do sal cloreto-sulfato de alumínio.
 hidróxido de alumínio      ácido clorídrico  ácido sulfúrico              cloreto-sulfato de alumínio        água


A Nomenclatura Dos Sais


Bibliografia


Sódio – Wikipédia, a enciclopédia livre 

pt.wikipedia.org/wiki/


Carbonato de lítio – Wikipédia, a enciclopédia livre 


pt.wikipedia.org/wiki/Carbonato_de_lítio